Sexta, 19 de Julho de 2024
20°

Tempo limpo

Marechal Cândido Rondon, PR

Polícia Cascavel

Ela não tentou ajudar, tentou fugir, diz mãe do menino Nando que morreu atropelado

Muito abalada, Mônica Souza prestou depoimento na delegacia em Cascavel

17/06/2024 às 14h05
Por: Redação Fonte: Catve
Compartilhe:
Ela não tentou ajudar, tentou fugir, diz mãe do menino Nando que morreu atropelado

Mônica Souza conversou com o Portal Catve.com e contou como foi o acidente que matou o filho, Fernando Lorenzo Souza Gehlen, de nove anos, no bairro São Cristóvão, em Cascavel (PR), na última sexta-feira (14).

Muito abalada, a mãe disse que o menino estava feliz após ter passado o dia no cinema. Acompanhado de Vicente, um amigo da família, a criança parou na esquina para buscar a mãe no trabalho.

 

Depois de Mônica sair da empresa, ela viu o filho agradecendo Vicente pelo dia que teve. O menino contou para mãe que ganhou um skate e lhe deu um abraço. Mônica Souza afirma que a condutora bateu contra a moto e, na sequência, atingiu a criança.

"Ela acertou o meu filho pela primeira vez e foi tentar fugir. No que ela foi tentar fugir, ela saiu arrastando o meu piazinho. Ela quebrou todo o meu Nando, ela machucou todo o meu Nando", lamenta a mãe.

O acidente

A mãe e o amigo, Vicente, sofreram apenas ferimentos leves. Eles foram atendidos pelos socorristas e encaminhados para unidades hospitalares. Fernando Lorenzo, no entanto, não resistiu à gravidade dos ferimentos e morreu no local.

Antes de atingir a criança, o carro bateu contra a motocicleta no cruzamento da rua Paraná com a Avenida Piquiri, no bairro São Cristóvão. Logo em seguida, o veículo invadiu a calçada e atingiu três pessoas da mesma família, incluindo o menino de nove anos que morreu.

Por 20 minutos, os militares tentaram reanimar a criança, que estava em parada cardíaca, mas não obtiveram sucesso.

A motorista causadora do acidente foi encaminhada para a Delegacia Cidadã para prestar depoimento. Após provocar o atropelamento, ela não conseguiu sair do carro para prestar os primeiros atendimentos às vítimas, porque recebeu ameaças de populares.

O que diz a Transitar?

A presidente da Transitar, Simone Soares, disse que os acidentes ocorrem pelo desrespeito à sinalização de trânsito, criticou a conduta dos motoristas infratores e explicou o porquê da não existência de um semáforo no local.

"Esse cruzamento não deveria ter semáforo. O fluxo da avenida Piquiri é muito menor do que o do Paraná. As pessoas precisam respeitar. As pessoas não param. É adaptação? Quanto tempo demora para a adaptação? Como vamos fazer para segurar alguém que não larga o celular?", argumentou. Investigações da Polícia Civil.

Polícia Civil investiga o acidente

De acordo com a delegada da Polícia Civil Thais Zanatta, a condutora pode ser indiciada pelos crimes de lesão corporal culposa e homicídio culposo, quando não há intenção direta no cometimento do crime. A pena máxima é de 6 anos de prisão.

A Polícia Civil recebeu relatos de que a motorista estaria utilizando o celular no momento do acidente. No entanto, a delegada afirmou que essa hipótese só poderá ser confirmada por meio de imagens de câmeras de seguranças que comprovem o delito.

Redação Catve.com

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Marechal Cândido Rondon, PR Atualizado às 10h03 - Fonte: ClimaTempo
20°
Tempo limpo

Mín. 14° Máx. 25°

Sáb 24°C 14°C
Dom 24°C 14°C
Seg 25°C 15°C
Ter 25°C 15°C
Qua 27°C 16°C
Anúncio
Anúncio
Horóscopo
Áries
Touro
Gêmeos
Câncer
Leão
Virgem
Libra
Escorpião
Sagitário
Capricórnio
Aquário
Peixes
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Ele1 - Criar site de notícias